Hairspray, um banho de autoestima

Eu assisti Hairspray há alguns dias. Se gostei do musical? Superprodução, cenário inteligente, figurino interessante, atuação impecável e um roteiro bastante animador.

Diferente de Gorda, este espetáculo não faz chorar. Com a Fabiana Karla no palco, senti vontade de deixar o Teatro Procóprio Ferreira aos gritos: “Eeeei, quem prioriza a aparência na hora de escolher um amigo ou um amor não sabe o que está perdendo!”  Já com as cenas de Simone Gutierrez, intérprete de Tracy em Hairspray, senti orgulho de ser gordinha e deixei o Teatro Bradesco com ainda mais energia para correr atrás dos meus sonhos.

A história se passa nos anos 60. Tracy é totalmente alto astral e pouco se importa com os quilos a mais. Ela dança (e como!), requebra e manda ver… Tem Penny (Heloísa de Palma) como melhor amiga. Seu principal objetivo? Mostrar em um famoso programa de TV as coreografias que aprendeu com amigos negros da escola. Seu sonho é dançar ao lado do bonitão Link (Jonatas Faro). Sua mãe, a também gorda Edna (interpretada com muito humor por Edson Celulari), inicia o espetáculo sendo contra a exposição da filha. Porém, ao se soltar e descobrir que não precisa se envergonhar do tamanho que tem, se convence de que não só a garota, mas toda a família, é merecedora de sucesso. Um verdadeiro  banho de autoestima.

Elenco reunido: Velma (Arlete Salles), Edna (Edson Celulari), Tracy (Simone Gutierrez), Link (Jonatas Faro) e Amber (Dani Winits)

Aproveitei o intervalo para falar com algumas gordinhas da plateia, e no final da apresentação abordei algumas outras para saber se elas receberam a mesma injeção de ânimo que eu.

Dayane Andrade (Foto: Claudio Augustus)

Dayane tem 23 anos e trabalha como analista de RH. “Sou bem resolvida com o meu peso e me identifico com a forte personalidade da Tracy. Independente do que os outros dizem, ela continua firme em suas decisões”, diz.

Sônia Lanzoni (Foto: Claudio Augustus)

Sônia Lanzoni conta que sofreu bastante com o preconceito durante a adolescência “Eu tive uma paralisia que me diferenciou dos demais da turma. Hoje estou bem, os quilinhos a mais não significam nada e a indiferença não me atinge”, conta a superassumida e simpática dona de casa de 47 anos.

Tiago Ribeiro e Geovana Brezolini (Foto: Claudio Augustus)

“Achei a mensagem bacana, de que é legal a pessoa não ficar focada só no que vê na mídia”, opinou a estudante Geovana Brezolini, de 20 anos, certa de que existem baixos, negros, altos e gordos explodindo de talento no mundo afora, e não apenas as loiras siliconadas que muito vemos na televisão. Ao lado dela, o namorado Tiago Ribeiro, um bancário de 23 anos, companheiro de primeira!

Ah… Aproveitei para perguntar sobre o visual da Geovana, que usava sobreposição de xadrez e um sobretudo acinturado. “Não tenho um estilo certo. Tento me vestir de maneira confortável e nem loja certa para comprar eu tenho. Para mim, não importa a marca, e sim o quanto eu me sinto bem com aquela peça”, diz.

Ana Sampaio (Foto: Claudio Augustus)

Ana Sampaio, de 45 anos, disse que a peça é muito divertida, mas seu lado nutricionista veio à tona num alerta. “Acho que a gente tem que se alimentar normalmente, de maneira saudável, conhecendo os limites, sem se matar… E ser feliz, claro!”

Márcia e Ana Carolina Peron (Foto: Claudio Augustus)

Márcia e Ana Carolina Peron, de 45 e 16 anos, são mãe e filha que foram acompanhar Hairspray. “Minha avó chegou a pesar 200  kg e morreu do coração. Com medo de chegar neste peso, fiz cirurgia do estômago. Eliminei 50 kg, mas não operei aqui dentro [aponta para dentro da cabeça] na clínica, né?”, conta a professora Márcia. Não que ela estivesse infeliz com seu corpo mais volumoso, mas precisou priorizar a saúde. No entanto, foi difícil para ela se reconhecer nos reflexos de sua sihueta que via de relance em uma vitrine e em fotografias, ou mesmo quando pegava uma nova peça de roupa na mão. “Eu não conseguia enxergar meu novo corpo. Precisei de ajuda psicológica!”, entrega, e deixa o recado: “Embora eu esteja bem, não acabaram todos os problemas.”

Felipe Caldeira e Camila Aragão (Foto: Claudio Augustus)

O casal Felipe Caldeira e Camila Aragão, estudantes de 22 e 19 anos, achou a peça bacana. “Deu para entender que beleza interna é o que importa”, disse Camila, sob o olhar apaixonado do namorado, que a esperava de braços abertos no final da entrevista.

Eliji Yabuuti e Lana Silva (Foto: Claudio Augustus)

“Tracy tem coragem, é despojada… Acho que, embora tenha tanto amor-próprio quanto ela, minha timidez não me permitiria agir igual”, conta Lana Silva, de 43 anos, admirada com a segurança e a ousadia que a protagonista do musical mostrou ter para resolver suas questões pessoais. Na foto, ao lado de Lana, o marido Eliji Yabuuti, cinco anos mais velho.

Brígida Martins, Tereza Romio e Maria Aparecida Ferreira (Foto: Claudio Augustus)

Eu mal questionei a médica Tereza Romio sobre a sua relação com os quilinhos a mais e ela já soltou, na maior empolgação. “Sou muito bem resolvida. Meu namorado é lindo, loiro e tem 1,90 m”. O namorado da Tereza não é gordinho e, assim como ela, não se importa com os números da balança. As amigas Brígida Martins – assistente social de 48 anos – e Maria Aparecida Ferreira – recepcionista de 57 anos – apoiam a amiga!

Cínthia Ortolan (Foto: Claudio Augustus)

Encontrei uma parceira de profissão, a jornalista Cínthia Ortolan, de 46 anos. “É importante a gente se gostar como é e não mudar para agradar os outros”, diz. Mas ela sofre com o efeito sanfona, um conhecido problema entre as gordinhas, e precisa sempre comprar novas peças para rechear o guarda-roupa. “Sou de Piracicaba e uso manequim 44/46. Lá eu procuro peças na Sfilate, no Shopping Piracicaba, e Collins”.

Serviço

Musical Hairspray

Onde? Teatro Bradesco
Turiassú, 2100 – Shopping Bourbon – São Paulo/SP

Quando? Todas as quintas, sextas, sábados e domingos

Por hoje é só! Na próxima quinta-feira, 20, volto a falar sobre o mundo Plus Size!

Anúncios

Sobre blogfatshion

Modelo Plus Size, empresária e dona de um amor próprio que não tem tamanho, Carla Manso une o útil ao agradável ao escrever sobre moda para quem sonha em ser exatamente o que é.
Esta entrada foi publicada em Namoro, Noias. ligação permanente.

8 respostas a Hairspray, um banho de autoestima

  1. Alessandra Barbosa diz:

    Oi também assisti Hairspray e adorei a peça. É uma verdadeira injeção de ânimo. Muitas vezes a mídia mostra que só as belas mulheres perfeitas tem vez, o que na verdade é uma mentira, porque muitas capas de revista é só fotoshop. Mais o que importa mesmo é o caráter e a beleza interior porque a exterior um dia passa!!!

    bjos…

    Bjos.

  2. Patricia diz:

    Concordo com a Carla. Essa peça é maravilhosa, fui assim que estreiou. Recomendo a todos.

  3. Priscila diz:

    Oii Carla!
    Não sou gordinha, mas também não sou magra que essas da tv aí.. rsrs
    e ADOORO ler seus posts. Sempre que tem coisa nova venho aqui ver.
    Te desejo tudo de bom!
    Bjãoo

  4. Eu diz:

    Muito bem, meninas.

  5. Lipe diz:

    Bom dia Carla,
    Observei uma postura paradoxal onde o ponto central é a diferença.
    É benéfico quando percebermos que somos um país abundante por nossa diversidade de âmbitos: ambiental, racial, socioeconômico, cultural… “valorizado” com “fonte de dinamismo e criatividade”…
    Porém é notório que está valorização da diferença, ainda anda a passos medíocres, contrariando as diversidades supracitadas por uma sociedade direcionada ao modelismo.

  6. Luis Augusto diz:

    Oi, Carla. Parabéns pelo seu trabalho. Muitas gordinhas são minhas pacientes em psicanálise. O foco é justamente este, elevar a auto-estima.
    Tenho tido bastante sucesso. E, viva Botero, viva as gordinhas!!!

  7. Jose Mauro Lopes diz:

    Adoro seus comentarios,mas faça por favor materias masculinas,pq nos gordinhos tb sofremos com pesos a mais.Eu adoro uma festa chamada ursound onde so vao gordos,mas seria legal tb lembrar de nos gordinhos.
    Bjs linda e sucesso sempre

    Maurao

  8. Nanda Costa diz:

    Carla, você está de paraéns por este blog. Depois que engordei tive muita dificuldade em me aceitar, mas hoje sou fascinada por moda e estou com minha auto-estima elevadíssima, pq sei que temos nosso “eleitorado”… E temos que lutar contra esse preconceito da moda, temos todo o direito de usar minissaia e decotes, com muita elegância.
    Espero poder um dia conhecer seu trabalho de perto.

    Um abraço

    Nanda

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s