Crítica: O verdadeiro peso de ser uma Plus Size

por Nayra Magalhães
Coach

Finalmente temos vivido de modo intenso o movimento Plus Size, aquele onde as pessoas acima do peso praticam a auto-aceitação, o respeito, vão a eventos fashions especializados, participam de movimentos contra o preconceito e bullying, entre outros. Todos estes permeando de forma arrebatadora e permanente a nossa sociedade.

Recentemente, o movimento Americano “Fat is the new Black” – algo como o” gordo é o novo pretinho básico” -, levantou claramente a questão de que até a maior potência mundial vem se rendendo ao quesito sobrepeso, entendendo a demanda popular por aceitação e a intolerância aos rótulos de beleza, que até então só valia se fosse uma beleza magra.

Mas e a outra face da moeda? Se por um lado o movimento ganhou voz e respeito, ele também tem sofrido com a própria identidade: a de não ser apologia à obesidade.

Não se precisa de muita pesquisa pelas redes sociais para notar que a autodefesa está se enrijecendo, a ponto de se tornar, em certos momentos, um ataque de ambos os lados.

Pelo lado Plus, basta um(a) gordinho(a) mais famoso resolver reduzir suas medidas ou reclamar que elas estão aumentando para que um Tsunami se forme.

Em sendo um movimento tão forte, tão libertador de estereótipos, por que conceder tanto valor a palavras e decisões de uns poucos indivíduos que também possuem seus momentos de “falta de tato” como todos os seres humanos?  Afinal, quem nunca esteve do lado do caçador, seja qual for a circunstância?

O respeito e a responsabilidade têm que ser as palavras de ouro desses tempos onde as pessoas querem impor seus valores aos outros, ou falam abertamente palavras que mais parecem armas de destruição em massa da autoestima alheia.

Somos e precisamos ser livres para criar, viver, falar, pensar e mudar, aceitando que o preço pago para tal liberdade de expressão, nos fará viver dias de caça e outros de caçadores.

O importante, afinal, é estar blindado em nossas convicções e sabedores do caminho que queremos trilhar, para que possamos ganhar a melhor das batalhas: a interna. Aquela que nos trará a verdadeira felicidade e realização própria, respeitando o padrão de alegria de cada um.

Afinal, esse cabo de guerra já está ficando meio chato, não acham?

Anúncios

Sobre blogfatshion

Modelo Plus Size, empresária e dona de um amor próprio que não tem tamanho, Carla Manso une o útil ao agradável ao escrever sobre moda para quem sonha em ser exatamente o que é.
Esta entrada foi publicada em Noias com as etiquetas , , . ligação permanente.

3 respostas a Crítica: O verdadeiro peso de ser uma Plus Size

  1. Nada contra o assunto, bastante pertinente, mas achei o texto truncado…

  2. Entendo perfeitamente o posicionamento dela e de certa forma concordo. De um lado estamos defendendo nossas formas, mas de outro, muitas vezes nos assustando e se perguntando o porquê de ” fulano” estar mais magro. Cada pessoa lida com os momentos da sua vida de formas diferentes e devem ser respeitados. Se meu momento hoje é estar acima o peso, ok. Se estou querendo emagrecer, ok também. Se aceitar, seja magra, gorda, loira, morena… isso é o que importa.

  3. Tatiana diz:

    Adorei o inicio do texto, depois achei bastante confuso. Concordo plenamente com o comentário da Kelly. Devemos respetar as decisões de cada individuo. Amei o blog, Tata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s